BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias

Incêndio atinge região da 25 de Março

Neste artigo será abordado um tema de grande repercussão ocorrido no dia 10 de julho de 2022 – o incêndio em um prédio comercial na região da 25 de Março, em São Paulo.

Matérias apontam possíveis causas e os efeitos oriundos desta tragédia, que serão tratados no decorrer deste texto com um viés mais técnico, tendo como intuito correlacionar a falta da segurança contra incêndio ao infortúnio evento. Quando falamos de segurança contra incêndio, infelizmente, temos um cenário onde as melhorias surgem posteriormente a alguma tragédia. É possível ter essa conclusão se fizermos uma análise história de eventos que antecedem as legislações existentes atualmente.

Região
Fonte: Shutterstock, 2022.

Incêndios que marcaram a humanidade

  • Roma – 64 DC;
  • Amsterdan – 1421 e 1452, com destruição de 1/3 e 3/4 da cidade, respectivamente;
  • Londres – 1666;
  • Chicago (EUA) – 1871, com 17 mil edifícios queimados, 300 mortos, 95 mil desabrigados e 200 milhões de dólares de prejuízo a cidade;
  • RJ-Gran Circus Norte Americano – 1961, que resultou em 372 mortes imediatas e 503 mortes no total;
  • São Paulo – Andraus – 1972, com 31 andares atingidos, 16 mortos e 350 salvamentos por helicóptero;
  • São Paulo – Jelma – 1974, acarretou em 21 andares destruídos, 179 mortos e poucas pessoas salvas por helicóptero;
  • Rio de Janeiro – Andorinhas – 1986, 21 mortos e 50 feridos;
  • Chiado – Portugal – 1988, acarretou a destruição de 18 edifícios construídos em 1755;
  • Uruguaiana – Rio Grande do Sul – 2000, foi o incêndio ocorrido em uma creche que culminou na morte de 12 crianças entre 2 e 4 anos;
  • Belo Horizonte – Canecão Mineiro – 2001, 7 mortos e 197 feridos;
  • Hotel Pilão – Ouro Preto/MG – 2003;
  • Santa Maria/RS – Boate Kiss – 2013, 242 mortos e mais de 600 feridos;
    Lei Federal nº 13.425, de 30 de março de 2017 – “Lei Boate Kiss”.

O incêndio que atingiu região da 25 de Março, precisará de perícia para averiguação da ou das causas que resultaram no evento. Ainda assim, foi levantado que o prédio em questão não possui AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros. O AVCB é um documento obrigatório, emitido pelo Corpo de Bombeiros que atesta a conformidade das medidas de segurança contra incêndio e pânico presentes em uma edificação. A falta dele configura alguns cenários, sendo eles:

  • Edificação sem regularização junto ao Corpo de Bombeiros;
  • Ausência ou erro na adoção das medidas de segurança exigidas pela legislação estadual;
  • Falta de pessoal treinado para atuar no combate ao princípio de incêndio;
  • Deficiência na manutenção de equipamentos, quando existentes;
  • Carência de vistoria da edificação.
Se este é um tema relevante para você, deixo como dica de estudo a NT 2-17 do CBMERJ Clique aqui e fique por dentro!

O incêndio e suas características

Para melhor entendimento dos efeitos do incêndio que atingiu a região da 25 de Março, com início no prédio da Rua Comendador Abdo Schahin, 80, certamente, faz-se necessário apresentar alguns conceitos do comportamento do fogo, suas características e como ele se propaga.

Em primeiro lugar, o fogo é uma reação química totalmente necessária para a existência humana, que resulta da interação de: combustível, fonte de calor, ar e a reação em cadeia para unir esses três elementos. Em suma, pode-se dizer que fogo é combustão.  

No momento em que esse fogo acontece de forma descontrolada no espaço, geralmente em um curto espaço de tempo, chamamos esse evento de incêndio. O fogo apresenta algumas temperaturas características, sendo elas:

  • Ponto de fulgor: é a temperatura mínima para que um combustível desprenda os vapores necessários que, quanto em contato com o oxigênio e uma fonte de calor comecem a queimar. No ponto de fulgor, quando a fonte de calor é retirada, a chama cessa.
  • Ponto de combustão: acontece de maneira semelhante ao fenômeno anterior, tendo como única diferença que ao se tirar a chama, o fogo não irá se apagar porque existem vapores suficientes para manter o fogo.
  • Ponto de ignição: esta é uma temperatura em que os gases desprendidos do combustível são capazes de gerar combustão apenas pelo contato com o comburente (oxigênio), independentemente de qualquer fonte de calor.

Classificação da combustão

A combustão é determinada pela liberação de seus produtos (completa e incompleta) e além disso, pela velocidade de sua queima (viva, lenta, explosão e combustão espontânea). A seguir estes termos serão detalhados:

  • Combustão Completa: Ocorre quando o combustível reage perfeitamente com o comburente e como resultado não gera resíduos. Ex: chama de um fogão.
  • Combustão Incompleta: É aquela que libera os resíduos que não foram totalmente consumidos. Ex: fumaça.
  • Combustão viva: Acontece em ambientes abundantes em oxigênio, e como característica, além do calor também libera chama.
  • Combustão Lenta: É aquela que gera calor, mas não chama. Um bom exemplo desta forma de combustão é uma churrasqueira.
  • Explosão: Como o próprio nome diz, trata-se de uma combustão rápida e violenta.
  • Combustão espontânea: Pode acontecer que com alguns materiais, geralmente vegetais, que entram em combustão por atingir seu ponto de ignição.
O incêndio na região da 25 de Março é um exemplo de combustão incompleta, observem os resíduos de fumaça densa.
Fonte: G1, 2022.

Incêndio atinge região da 25 de Março por transferência de calor

Todos os conceitos abordados anteriormente tinham o intuito de estruturar um pensamento para que este tópico fosse visto. Assim sendo, a transferência de calor é a forma como essa energia (calor) vai se propagar, podendo acontecer de três maneiras diferentes, sendo elas:

  • Condução: Calor transferido por contato direto.
  • Convecção: Transferência de calor por fluidos, líquidos ou gases.
  • Radiação: É uma transferência que ocorre por meio de ondas eletromagnéticas.

Para os três casos, pode-se utilizar o exemplo de uma panela, conforma figura abaixo:

Tranferência
Fonte: Shutterstock, 2022.

O incêndio que atingiu a região da 25 de Março, aconteceu em um prédio comercial de dez pavimentos, localizado na Rua Comendador Abdo Schahin, nº 80, no centro de São Paulo. Teve início às 21:00 horas do dia 10 de julho e durou mais de 63 horas.

Assim sendo, por ser uma edificação irregular, provavelmente, não contava com medidas passivas e ativas para o combate de incêndios.Ou seja, independente da causa deste incêndio, a combinação de medidas passivas e ativas proporcionaria um combate mais rápido e, consequentemente, controlaria os riscos de propagação do incêndio para outras edificações. Infelizmente, além do edifício da Rua Comendador Abdo Schahin, o incêndio atingiu por transferência de calor um prédio na Rua Barão de Duprat, uma paróquia e uma loja de artigos de festas na Rua Cavalheiro Basílio Jafet.

Em suma, este foi mais um evento para mostrar que, acima de tudo, a segurança contra incêndio deve ser tratada com mais seriedade, deixando de ser vista como uma “simples” regularização e passando a ser tratada como uma forma de preservar vidas, patrimônio e o ambiente em que vivemos.

Continue lendo aqui no blog!

https://www.linkedin.com/in/catharineoliveira-engseguran%C3%A7a/

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese

WORKSHOP ENGENHEIRO PERITO

Conheça o método que engenheiros de todo o Brasil estão usando para trabalhar na justiça recebendo de R$4.375,00 á R$11.547,00.
Sem prestar concurso público!

Fique tranquilo, não enviamos spam!