BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias

O hazop e a análise de risco

De antemão, temos que estar conscientes que corremos riscos diariamente, desde ir ao trabalho a cozinharmos. Enfim, na indústria não seria diferente. Contudo, neste caso, temos técnicas para prever esses riscos ́ de forma a mitigá-los. Por hoje vamos estudar sobre o hazop. Já ouviram falar? Conhecem? Então confira neste artigo o que é e como aplicamos esta técnica.

O que é hazop? 

Em primeiro lugar, a palavra hazop vem da língua inglesa que  significa HAZard OPerability Sturdy. Agora, traduzindo para o português estudo dos riscos e operabilidade.

À primeira vista, tivemos o desenvolvimento da técnica para aplicação inicialmente em processos químicos.

Mas, com o sucesso da metodologia, esta foi generalizada e aplicada em outros tipos de processos, que vão desde sistemas complexos até softwares.

E qual seria seu objetivo?

Objetivo da metodologia

Primeiro, o objetivo principal da aplicação do hazop é conferir a identificação e a avaliação dos perigos de segurança e meio ambiente que a planta industrial pode vir a oferecer.

Segundo, e não menos importante, os problemas que possam vir a comprometer a planta. Isso quer dizer, que poderia reduzir a produtividade da planta e  aumentar os custos com insumos, por exemplo, caso algum acidente venha a ocorrer.

Diante disso, a técnica pode ser executada tanto  na parte de planejamento da planta, como na planta já em execução. Afinal, nunca é tarde quando se trata de segurança.

Se tratando de segurança, já sabemos que é vantajoso. Agora, já existem outras técnicas de avaliação de riscos, qual a vantagem de aplicar o hazop em específico?

As vantagens

O hazop é aplicado com a utilização de perguntas através de palavras-guia, ou seja, a metodologia segue uma abordagem sistemática o que facilita e dá mais agilidade ao processo.

Palavra guia hazop

Conforme dito anteriormente, devido a técnica poder ser aplicada a diversos sistemas e áreas torna-a bastante flexível.

Por fim, durante a execução da reunião para a análise de risco temos a presença de uma equipe multidisciplinar. Por exemplo, contamos com o pessoal de operações que já estão acostumadas com os desvios dos parâmetros do processo, de segurança, meio ambiente, dentre outros.

Agora, uma vantagem, não só para a planta mas para o pessoal empregado, é a uniformização dos conhecimentos.  E como ocorre essa reunião? É disso que iremos tratar no próximo tópico.

Como funciona o hazop?

Primordialmente, é a formação de uma equipe multidisciplinar!

Nesse meio tempo, se tratando da técnica em si, é a determinação da área onde será realizada a análise de risco.

Posteriormente, realizamos a divisão das áreas em subáreas através de “nós”. Dessa maneira, garantimos que nenhum detalhe que possa vir a comprometer a operação da planta seja esquecido.  Que detalhe seria esse? Por exemplo, podemos identificar que uma queda de pressão de um vaso seria um risco. Mas, o nível, se diminuir muito?

Para determinarmos esse grau de detalhamento, ou seja, onde realizar cada análise temos alguns critérios. São eles:

  • Mudança de processo
  • Mudança de estado físico.
  • Equipamentos com parâmetros ( Temperatura, Pressão, Vazão, Nível) distintos.
  • Vasos do processo e auxiliares.

Anteriormente, falamos sobre perguntas e palavras-guia. Lembram?

Vamos entender melhor!

As palavras-guia no hazop são as alterações que ocorrem no processo, que, aplicada diretamente com os parâmetros resultam nos desvios.

palavras guia aplicadas ao hazop

Em outras palavras, as possíveis causas.

A análise de riscos é feita em cima de um P&Id , um fluxograma de engenharia, pela equipe, e registrada em uma planilha pelo facilitador, que conduz a reunião fazendo as perguntas.

Planilha hazop

Em seguida, é realizada a categorização cruzando a frequência com a severidade resultando no risco.

Por fim, esse risco é classificado de I a V após ser aplicado na matriz de risco. 

Risk management matrix

Apenas os riscos I e II são aceitáveis. Em suma, não negligenciam a segurança! Para mais artigos como este, sigam o blog da engenharia! E não esqueçam de compartilhar o conteúdo!

Total
0
Shares
1 comentário
  1. Como Vai, Muito bom seu artigo, apenas para complementar, tem um programa chamado: PCG Programa Classificados Grátis, esse Software é um agregador de sites de classificados, nele tem mais de 340 sites de classificados grátis onde você pode anunciar, usando esse programa você pode anunciar de forma automática nesses sites, vale muito a pena usar ele agiliza muito o trabalho além de te dar uma lista que sempre é atualizada com sites atuais, com esse programa você consegue ter mais trafego orgânico e assim receber visitas dos buscadores como o Google e outros, eu sempre usei esse programa para fazer divulgação e faço vendas praticamente usando apenas ele. Fica ai a sugestão… Seu texto me ajudou muito. Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese

WORKSHOP ENGENHEIRO PERITO

Conheça o método que engenheiros de todo o Brasil estão usando para trabalhar na justiça recebendo de R$4.375,00 á R$11.547,00.
Sem prestar concurso público!

Fique tranquilo, não enviamos spam!