BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias

Gasolina não, eletricidade sim!

A inserção de veículos elétricos no mercado automotivo é uma realidade que se intensifica. Será isso benéfico ou maléfico a toda cadeia produtiva e meio ambiente?

Voltando ao passado, constata-se que a utilização de carros elétricos não é nenhuma novidade do século XXI. Visto que o desenvolvimento de tecnologias desta área ocorre desde os anos de 1830.

Porém no cenário atual, a perspectiva de mobilidade elétrica tem uma função decisiva na sociedade que é o enfrentamento das mudanças climáticas. Em síntese, o objetivo principal é cumprir o Acordo de Paris que determina limitar o aumento da temperatura em 2° Celsius. Ressalta-se o papel importante do setor de transportes na emissão dos gases CO² que corresponde a 24% das emissões totais.

Aumento no consumo de eletricidade

Conforme dados da Bloomberg New Energy Finance, o impacto da inserção dos veículos elétricos acarretará um acréscimo de 6% na demanda global de eletricidade até 2040. Em contrapartida, evitará o consumo de 7,3 milhões de barris de combustível diariamente para o setor de transportes.

Apesar de a demanda do setor elétrico não ser muito impactada, ressalta-se a necessidade de preparo dos países para a nova tecnologia. Uma alternativa esta sendo a transição com os veículos híbridos que conciliam a tecnologia a combustão e a eletrificação garantindo maior autonomia aos mesmos.

O MITO DO IMPACTO DOS VEÍCULOS ELÉTRICOS

Conforme informações da CPFL que realizou um estudo através do projeto EMOTIVE comprovou que o impacto dos carros elétricos na rede elétrica brasileira seria pequeno. A pesquisa realizada durou 5 anos e o investimento foi de R$ 17 milhões de reais. Sendo assim, comprovou-se que mesmo com as vendas sendo exclusivas de veículos elétricos a partir de 2018, o consumo destes representaria apenas 5,9% em 2030.

Porém, o cenário realista proposto pela CPFL é que em 2030 sejam 1,18 milhões de carros elétricos no Brasil, representando apenas 3,8% de toda frota nacional. Bem como, pode-se considerar um percentual de vendas anuais de 7,6% para modelos eletrificados ate 2030. Portanto neste caso a mobilidade elétrica no Brasil não seria um desafio para as empresas de energia elétrica.

Diante deste cenário, o aumento no consumo de energia elétrica devido a nova tecnologia seria de 0,6% a 1,6% nos próximos 12 anos visando atender de 4 a 10 milhões de carros. Ainda no estudo realizado no projeto EMOTIVE constatou-se que o quilômetro rodado com veículo elétrico tem um custo de R$ 0,11 e o carro a combustão o valor é de R$ 0,30, destacando assim mais um ponto positivo da eletrificação.


Resumindo

A mobilidade elétrica promove inúmeros benefícios como a redução na emissão de dióxido de carbono que por consequência minimiza os impactos do efeito estufa. Além, da redução no valor do quilômetro rodado que torna mais fácil a popularização dos veículos. Para finalizar, o carregamento do carro elétrico pode ser realizado em sua própria residência através de uma tomada comum e o consumo é semelhante ao de um chuveiro elétrico.

Hora de começar a analisar os modelos de carros elétricos disponíveis no mercado.

Referências:

https://insideevs.uol.com.br/news/546302/carros-eletricos-demanda-energia-eletrica/

https://www.automotivebusiness.com.br/pt/posts/noticias/carro-eletrico-tem-baixo-impacto-no-consumo-de-energia-no-brasil/

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese

WORKSHOP ENGENHEIRO PERITO

Conheça o método que engenheiros de todo o Brasil estão usando para trabalhar na justiça recebendo de R$4.375,00 á R$11.547,00.
Sem prestar concurso público!

Fique tranquilo, não enviamos spam!