O melhor das engenharias
BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias
Nitrato de Amônio

Nitrato de Amônio e a explosão em Beirute.

No dia 04 de agosto a explosão ocorrida na região portuária de Beirute, capital e maior cidade do Líbano, gerou muitas especulações devido a sua intensidade e gravidade.

Mas, ninguém esperava que o principal “suspeito” pudesse ser o Nitrato de Amônio.

Nitrato de Amônio

O que é o Nitrato de Amônio?

O Nitrato de Amônio é um composto químico de fórmula molecular NH4NO3, amplamente utilizado como fertilizante na produção de alimentos como cana-de-açúcar, frutas e hortaliças.

O composto ativo cede nitrogênio para as raízes das plantas, tornando-as mais resistentes e aumentando a produtividade da lavoura.

Sendo um sólido comburente (categoria 3), o Nitrato de Amônio se apresenta como um sal branco altamente solúvel em água e higroscópico, que quando aquecido a temperaturas superiores a 210°C decompõe-se rapidamente liberando assim, gases tóxicos, tais como o óxido de nitrogênio e amônia.

Nitrato de Amônio

Por si só, o composto é considerado seguro, mas basta uma faísca ou o aquecimento para que a reação se torne altamente explosiva.

E por isso, existem cuidados e restrições quanto ao seu armazenamento e transporte, não sendo recomendado o armazenamento em grande escala.

No Brasil, os critérios de segurança para transporte, manipulação e armazenamento deste composto são altamente rigorosos, o que ocasionou uma queda no mercado e uso do produto nos últimos anos.

E o que de fato aconteceu em Beirute?

O que ocorreu em Beirute já aconteceu também na França, China, EUA e em menores proporções em São Paulo e Santa Catarina.

Ou seja, explosões oriundas do armazenamento indevido do Nitrato de Amônio não são novidade e já ocasionaram estragos catastróficos com centenas de mortos e feridos.

Especificamente em Beirute, o que sabe-se até o momento é que cerca de 2,7 mil toneladas de Nitrato de Amônio estavam armazenadas em um depósito desde 2014, sem a segurança necessária.

O que fazer agora?

Nitrato de Amônio
Região portuária de Beirute no Líbano, antes e depois da explosão.

Além de seguir com a averiguação do caso e de responsabilizar os culpados, deve-se também, atentar aos cuidados necessários no armazenamento e transporte deste composto.

Após o ocorrido em Beirute, alguns estados brasileiros, dentre eles o RS, já se posicionaram acerca da movimentação do Nitrato de Amônio, alegando que a substância é de “interesse militar”, logo, sua fabricação, transporte, armazenamento e uso são devidamente inspecionados pelo Exército.

No Brasil, atualmente, os estoques do Nitrato de Amônio seguem um esquema “Just in Time”, o que minimiza o potencial risco de acidentes.

Entretanto, as Boas Práticas e a prevenção com relação ao uso de produtos químicos como o Nitrato de Amônio, são imprescindíveis.

Veja mais sobre estes cuidados preventivos clicando aqui.

 

 

 

 

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas
Ler Mais

Laptop de papel

Pensando nas causas de sustentabilidade mundial, a empresa chinesa PEGA criou um novo tipo de laptop. Feito de uma combinação de…
pt_BRPortuguese