BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias
Sal

Tudo que você precisa saber sobre uso de sal na piscicultura

Você leu este título provavelmente pensou, se o peixe vive em água salgada obviamente precisará de sal. Mas onde o grande “X” está em questão, não estamos falando de peixes de água salgada, mas de peixes de água doce. No post de hoje vou te contar como isso pode ser feito e pode trazer grandes benefícios. 

Acima de tudo, cuidar da água é um fator chave a considerar ao manusear peixes, alguns especialistas podem dizer “Nos preocupamos mais com a água do que com os peixes”. Se você parar para pensar, é verdade, o peixe vive toda a sua vida na água, por isso devemos cuidar do seu ambiente. O uso do sal é um fator importante para o cuidado da qualidade da água. 

Sal comum

Embora o sal (Na+) possua diversos benefícios, muitos produtores desconhecem suas capacidades. O produto é amplamente utilizado, possui baixo custo e em quantidades certas é seguro para os peixes. 

O soro fisiológico encontrado em farmácias tem cerca de 9 g de sal por litro ou 0,9% de sal, os peixes de água doce também contêm essa quantidade em seu sangue. Nesse sentido os peixes de água doce vivem em um ambiente com pouco sais e devido a sua estrutura corporal, com isso passa por um difícil processo de conservação de sais em liberação de água em seu corpo. Esse processo de conservação de sais e liberação de água é nomeado como osmorregulação.  

Além das brânquias, os rins e a bexiga também fazem parte do processo de regulação osmótica, desta forma minimizam a absorção da saída de urina e ajudam a eliminar o excesso de água que entra no corpo do peixe por osmose. 

Também podemos falar sobre o sistema digestivo que ajuda a absorver o sal no organismo, mas para aprofundar este tema, é para outra hora! Agora vamos falar sobre as diferentes aplicações do sal na aquicultura. 

Sal
Alimento foto criado por Racool_studio – br.freepik.com

Na depuração de peixes 

Este processo antecede o transporte de peixes vivos, sejam pós-larvas, juvenis, desovas ou abate. Trata-se basicamente de colocar o peixe em um tanque com água corrente, permitindo que o peixe passe por uma limpeza dos órgãos digestivos e externos – processo de off-flavor – O uso de sal pode ajudar a no equilíbrio osmorregulatório, prevenir lesões e infecções, reduzindo assim a mortalidade dos peixes durante o processo de depuração. 

No transporte de peixes vivos 

O manuseio de peixes coloca o animal sob alto grau de estresse, desta forma o sal faz com que o peixe secrete muco. O muco atua como uma barreira contra a perda de sal e contra a alta hidratação do corpo do peixe, contribuindo para a osmorregulação. Assim como, o muco também ajuda a cobrir áreas lesionadas, inibindo infecções fúngicas e bacterianas que podem ocorrer durante o transporte.

No combate e prevenção de parasitoses 

A princípio, protozoários, algas unicelulares e monogenóides podem destruir em grande parte as brânquias, causando a entrada de água no corpo e a perda de sais do sangue para a água, afetando a osmorregulação. Para o combate pode ser utilizado banhos rápidos com água salgada. 

Como vai agir o banho de água salgada? 

No caso de parasitoses, os banhos pode ser com cerca de 20 a 30 g de sal por litro. O banho desidrata os parasitos e também os peixes. Mas comparado com os peixes os parasitos são menores e desidratam mais rápidos, levando a morte. O banho também proporciona a reposição de sais no sangue dos peixes. Por isso, é necessário avaliar o tempo de exposição. 

sal
Doença foto criado por freepik – br.freepik.com

Prevenção na intoxicação de nitrito  

O nitrito (NO2 2 ) é um componente proveniente da matéria orgânica que é encontrado no tanque de cultivo. Este composto é tóxico para os peixes, mas quando o sal é adicionado à água, a toxicidade é reduzida, pois eles se ligam adequadamente aos receptores de nitrito nas células branquiais dos peixes. 

Depois da despesca 

No decorrer da despesca, ocorre o rompimento de sedimentos – em tanques escavados – esses sedimentos assentam nos peixes, em alguns casos tornando o peixe incapaz de respirar e danificando o epitélio branquial. O uso do sal estimulará o muco, ajudando a remover os resíduos e as feridas que foram causadas. 

Contudo, outros autores encontraram cerca de 12 finalidades de uso de sal em truticulturas (criação de truta). Como resultado, isso comprova a eficácia e a segurança do uso de sal, produto esse que é regulamentado pelas agências norte-americanas e europeias.  

Outros autores encontraram cerca de 12 usos do sal em truticulturas (criação de trutas). Isso demonstra a eficácia e segurança do uso do sal, produto regulamentado pelas autoridades norte-americanas e europeias. 

Em conclusão, todos os casos acima é fundamental que a dosagem de sal seja feita corretamente levando em consideração cada espécie e cada fase da vida, com uma quantidade aceitável de sal. O não cumprimento das recomendações pode prejudicar os peixes.


Despertou curiosidade de assuntos relacionados a aquicultura e quer em seu Instagram? Clique aqui e confira!

Total
26
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese

WORKSHOP ENGENHEIRO PERITO

Conheça o método que engenheiros de todo o Brasil estão usando para trabalhar na justiça recebendo de R$4.375,00 á R$11.547,00.
Sem prestar concurso público!

Fique tranquilo, não enviamos spam!